image
Hello,

Sou Neila Bahia

Atuo como jornalista e já fui responsável pela comunicação corporativa de fashion designers e lojistas. Além disso, trabalhei também no desenvolvimento de produtos, coordenando equipes de produção do vestuário feminino.

Há alguns anos estudo a moda e o consumo consciente sob uma perspectiva mais ritualística, mística e reconectiva. Unindo esses conhecimentos com saberes ancestrais e intuitivos, crio conteúdos para melhorar a forma como compramos roupas.

❝Compre menos, escolha bem, faça durar.❞
Vivienne Westwood

Editorial

COMPRE MENOS

Técnicas práticas para te ajudar a tomar as melhores decisões.

ESCOLHA BEM

Instruções passo-a-passo para treinar o seu olhar e ser seletiva.

FAÇA DURAR

Estratégias para se tornar uma especialista em manter suas peças.

Blog



Na Lua Minguante, limpe o seu guarda-roupa.

 



Feliz 2021! Depois de tanto tempo ausente aqui desse espaço, retornar é mesmo um desses raros momentos de alegria que temos disfrutado durante esses tempos difíceis, para dizer o mínimo.

Esse período afastada do trabalho, pude refletir muito e precisei restaurar minha energia já que realizar as tarefas, mesmo as pequenas, exigiam de mim uma disposição que eu não tinha, por menor que fosse.

E fiz isso de uma maneira muito simples - primitiva até -, diriam alguns.

Descartada qualquer possível doença, tentei meditar, me exercitar, ler, assistir coisas que gostava e ouvir música. Foi quando numa dessas meditações, como num lampejo, veio à minha mente a vontade de me reconectar com os ciclos lunares.

Simples como estou escrevendo.

Acredito que você já saiba que a Lua é uma representação perfeita da passagem do tempo dos ciclos do corpo feminino. E também uma bela força que pode impactar tudo, desde as ondas do oceano até nossas emoções.

Por isso, o calendário lunar ainda é usado em algumas tradições hoje e para muitos amantes da Lua sua energia marca uma conexão mais profunda com nossa intuição e natureza.

Trabalhar com a Lua nos dá a oportunidade de observar a nós mesmas, validar nossas percepções, definir novas intenções e planejar os próximos passos com maior facilidade.

Assim, utilizei casa fase da lua para desenvolver o que eu precisava: autocuidado, produtividade, organização, limpeza, visualização, conexão externa ou contemplação interna.

E é isso que quero propor a você nesse post.



Limpando o guarda-roupa com as energias da Lua Minguante.


Todos nós sabemos como é bom um espaço limpo e claro. A lua minguante nos convida a liberar a desordem e a criar um espaço harmonioso, banindo tudo aquilo que não nos serve mais.

E isso se encaixa em todas as áreas da nossa vida, inclusive para as nossas roupas. 

Se a gente parar para pensar, são elas que estão conosco o dia inteiro, protegendo, enfeitando nossos corpos, mostrando ao mundo quem somos.

Mas, se suas roupas ainda não estão nesse patamar, continua por aqui porque ainda vou falar muito disso, com conteúdos para você ter um guarda-roupa mágico, cheinho de peças que você ama! 

Dito isso, a partir de hoje você terá 7 dias para por em prática tudo que vou ensinar agora, limpando, organizando e pondo pra fora tudo aquilo que não serve mais! Pronta? Vamos!



como-organizar-o-guarda-roupa


Antes de qualquer coisa, coloque na sua agenda essa tarefa. Sério. Dependendo do estado do seu armário, você pode precisará de muito tempo. Tire o dia pra isso, sem muitas atividades pesadas.

Separe:

1. Água (ou uma bebida da sua preferência);
2. Uma playlist que você ama muito (eu adoro essa aqui);
3. Sacos ou caixas para armazenar o que sai;
4. Sachês mágicos com ervas aromáticas de sua preferência (você pode criar o seu próprio ou comprar em casas especializadas).

Tirando tudo do guarda-roupa

Agora, esvazie seu armário. Sim, tudo. Completamente vazio. Caso não possa por qualquer motivo - não vale preguiça, hein? - vá por partes. 

Não se preocupe com nada ainda, apenas leve tudo para sua cama. Retire também os seus sapatos, acessórios e joias. Todas as coisas. Ao retirar as coisas, mentalize as energias estagnadas sendo banidas do ambiente.

Limpe o seu guarda-roupa, conforme a instrução do material (pano seco ou pano úmido). O importante é deixá-lo realmente limpo e arejado. 

Enquanto deixa o ar circular livremente por ele, tire um tempo. Afaste-se do armário, das roupas, da culpa, da frustração ou de qualquer outra emoção que esteja surgindo. Respire e deixe ir!


Amor, Talvez, Doar, Lixo.

Essas são as 4 pilhas de roupas que você vai criar. Destine cada peça para a pilha que você julgar mais adequada a ela. Não se preocupe muito, apenas siga sua primeira reação.

Ficará assim:

Amor: aquelas que você adora, caem muito bem e usa com frequência.
Talvez: quero ficar com isso, mas não sei por quê (talvez seja apenas apego ou culpa).
Doar: Esses itens não cabem no meu corpo ou na minha vida, mas podem ser o amor de outras pessoas.
Lixo: aqui ficam as que estão em más condições (reaproveite ou leve a um centro de reciclagem, se possível).

Continue até que sua cama esteja limpa e você tenha 4 pilhas no chão.
Não esqueça de beber água. O calor está absurdo! 

Embale ou empacote seus itens para doar e descartar e coloque-os em um lugar adequado.

Dê uma segunda examinada nas pilhas do amor e do talvez. Vale experimentar se quiser, mas faça as seguintes perguntas para as que geram dúvidas:

1. Eu compraria isso hoje?
2. Vou usar isso nos próximos 6 meses (ou sempre)?

Se a resposta for não, comece uma nova pilha de doações e imediatamente adicione-a aos outros itens que você já guardou.

É provável que a essa altura você já esteja exausta. Mesmo que você não tenha muitas peças, como eu não tenho, essa tarefa demanda muita energia. Comer algo pode ser uma boa ideia!


Chegando ao final. 


Agora você tem apenas as peças que separou e que vai usar real. Mesmo com tanto trabalho isso é recompensador!

Então, não negligencie essa parte que é muito importante. Para ter um guarda-roupa mágico é importante saber qual roupa deve ser pendurada ou dobrada.

O primeiro passo é decidir como guardar sua peça, é importante primeiro observar o tecido que ela é feita.

Para peças de tecido plano e fibra natural é melhor que sejam penduradas, porque amassam muito. Essas são feitas de crepe, seda, linho, algodão, couro... Viscose é um tecido misto, mas entra nessa lista, pois amassa tanto quanto.

Peças de tecido sintético e com elastano devem ser dobradas e guardadas nas prateleiras ou gavetas. Por sua composição e trama, elas marcam facilmente ou pelo peso da peça, esticam "crescendo" e ficando deformadas. São peças em malha, lã, lycra, poliéster...

Com cuidados simples você conserva sua roupa por muito mais tempo e aumentando a durabilidade dela tão cedo não precisará se desfazer de algo que ama!

Por fim, coloque os saches de ervas em cantinhos estratégicos para manter as boas energias circulando. Eu amo os de lavanda!


Consultoria de imagem e estilo

consultoria-de-imagem-e-estilo


Se alguém te perguntasse qual o objetivo da CONSULTORIA DE IMAGEM e ESTILO você saberia responder?

Se não, não se preocupe, você não é a única. E por não saber bem do que se trata, muita gente deixa de utilizar essa ferramenta importante na construção da autoestima e pior, tacha como futilidade, "coisa de quem não tem o que fazer".

O objetivo principal de uma consultoria é desenvolver a imagem que desejamos projetar, ou seja, a forma como queremos ser vistas pelos outros e por nos mesmas.

Não se trata de criar uma personagem, mas de construir um código de estilo com base nos nossos interesses, personalidade, lifestyle e essência.


Para tanto, é feita uma análise inicial que engloba itens como:


● Estudo de cores que mais têm harmonia com o tom da sua pele, cabelos e olhos;

● Avaliação da estrutura física, formato do rosto, altura, corte do cabelo;

● Mapeamento da rotina, trabalho, compromissos diários... etc.


Com os resultados em mãos, a consultora define as melhores linhas, formatos, design e acessórios, a fim de valorizar os pontos fortes da gente.

Concluído o primeiro passo, há uma análise do nosso guarda-roupa, buscando trazer funcionalidade, pra ver o que é bacana, o que precisa de ajuste e o que precisa sair.



Então, se você tem dificuldade de construir sua imagem sozinha, é muito provável que precise do trabalho de uma consultora de imagem e estilo.

Afinal, autoestima elevada e confiança pessoal estabelecida não é futilidade. Basta lembrar que nós, seres humanos, fazemos julgamentos sobre os outros baseados, primeiro, na aparência.

E antes que você discorde, já foi comprovado que não é intencional e acontece em questão de milissegundos!

A aparência não exclui um bom "conteúdo", mas o complementa e é importante para a forma como nos enxergamos e pensamos sobre nós mesmas. 🖤


Photo Credits: Alve Odonnell

Projeto recebe roupas de descarte




O que fazer quando uma roupa chega ao final de sua vida útil? 
Não tem jeito. Em algum momento da vida você vai precisar de desfazer de uma roupa que não tem mais utilidade. Se vc já definiu que não tem mais como consertar a peça, fazer uma doação ou vendê-la, segue comigo nesse post que tem solução!

O QUE DIZ A LEI?


A Política Nacional de Resíduos Sólidos (PNRS) - instituída pela Lei nº 12.305, de 2 de agosto de 2010 - diz que os consumidores são os grandes responsáveis por descartar, de forma consciente e sustentável, roupas, sapatos ou qualquer que seja a peça adquirida.


E NA PRÁTICA?


Estima-se que são geradas, no Brasil, 170 mil toneladas de resíduos têxteis por ano — e 80% deste volume vai parar onde? Em aterros!


COMO ASSUMIR A RESPONSABILIDADE?


Primeiro, somos eternamente responsáveis por aquilo que compramos. Logo, não devemos comprar coisas desnecessárias. Se compramos apenas o suficiente, a produção vai continuar, as pessoas não perderão seus empregos, mas a indústria vai desacelerar.

Mesmo quem só visa o lucro sairia ganhando. Tá, mas não vivemos nesse mundo ainda e as pessoas precisam descartar suas roupas velhas. Vou partir do princípio que as roupas não podem mesmo ser aproveitadas - nem pra doação, venda, pano de chão -, ok? 




WTF IS LOGÍSITCA REVERSA?


Aqui está uma maneira incrível de descartar roupas! Lembra que eu falei da nossa responsabilidade enquanto consumidores?

Mas a PNRS também responsabiliza as empresas pelo pós-consumo de seus produtos, sejam fabricantes ou lojas. É a chamada “logística reversa”. Eles precisam ter políticas para dar destinos às peças imprestáveis.

Eles precisam ter políticas para dar destinos às peças imprestáveis.


E COMO FUNCIONA?


Algumas empresas ligadas do segmento têxtil têm programas de coleta de peças para reciclagem. Uma delas é a @cea_brasil, com o projeto Movimento Reciclo. Nele, a gente leva nossas roupas (compradas lá ou não) até uma das 31 lojas (em 18 cidades) e as deposita em caixas de coleta.

Daí é feita uma triagem pra ver se as peças ainda podem ser aproveitadas. Se sim, vão para o Centro Social Carisma, em Osasco (SP), e as que precisam ser recicladas são encaminhadas para o projeto Retalhar.


ALGUMAS CONSIDERÇÕES


Como eu falei lá comecinho, a melhor alternativa é mesmo a consciência. Precisamos entender que não dá mais pra sair comprando porque sim. Através da consciência podemos perceber que com atitudes simples podemos impactar toda uma estrutura projetada para incentivar o consumo exagerado.

Sejamos a revolução que o mundo precisa e tenhamos apenas o necessário, nem mais nem menos, só o necessário. A natureza vai nos devolver as melhores coisas, pode apostar!

Amamos as roupas anos 80!

Imagem: @viihrocha

Se como eu você viveu os anos 80, provavelmente se lembra das roupas que eram usadas naquela época. Mesmo sendo criança, consigo recordar das peças da minha mãe e, sem dúvida, aqueles foram tempos em que era tendência ser exagerado e apostar em muita cor.

Isso porque embora o Rock estive ganhando fôlego, era evidente que a Disco da década anterior continuava influenciando - e muito - a moda dos anos 80.

E a junção desses dois gêneros foi fundamental para o surgimento da New Wave, um movimento de alegria, cores e poder em diversos aspectos culturais, principalmente na Moda. 

LEIA TAMBÉM: Como usar botas Chelsea

O resultado foi um visual ousado e o pensamento de quebrar padrões e mudar um conceito estabelecido foram as palavras de ordem, num mix de estilos tanto para um look mais elaborado quanto para os mais descolados ou alternativos.


Os vestidos e blusas com mangas hiper exageradas eram a aposta de muitas mulheres, inclusive as artistas que usavam fortemente na peça e lançavam a tendência a cada aparição.

Prova disso são as mangas bufantes, clássico oitentinha, que foi usado frequentemente por estrelas, inclusive o ícone da moda, Lady Diana.

E como a moda passa, mas o estilo permanece (amém, Chanel!), aqui estamos nós, em 2018, com releituras incríveis dessa década maravilhosa! Temos que confessar que não é tão esfuziante como antes, mas é tão lindo quanto as roupas dos anos 80! 

Eu mesma já estou querendo muito uma peça clássica e atemporal assim e até já separei umas que compartilho com vocês agora:



Eu já quero trazer o modelo pro meu guarda-roupa. E vocês, gostam? Me contem o que acham dessa trend! 

8 desafios para encontrar seu estilo


Está sem inspiração para criar looks que funcionam? Separei 8 desafios de estilo para você se apaixonar pelo seu guarda-roupa agora mesmo! 

A menos que você queira, está certo que nesse período que estamos em casa não precisamos estar sempre bem vestidas ou muito menos preocupada em criar looks incríveis.

Afinal, com tanta coisa acontecendo ao nosso redor precisamos, sim, é cuidar da nossa saúde emocional e física.

Porém, como essa pandemia não vai durar pra sempre e há também aqueles dias em que desejamos tirar o pijamão ou o moletom de todo dia e nos vestir minimamente bem. E dizem por aí que isso nos motiva a ficar mais produtiva, sabia?

Sem contar que como estamos com mais tempo livre desafiar-se a cumprir algo pode ser benéfico para a nossa saúde mental, além de ser garantir boas doses de diversão!





Foi pensando nisso que resolvi compartilhar com vocês os desafios criados pela @guid que podem te ajudar e muito a sair da sua zona de conforto, observando com mais carinho as peças que já tem no seu armário, com um novo jeito de vesti-las e quem sabe até descobrindo um novo estilo durante esse processo.

Se você não conhece a @guid, ela é consultora de estilo e o nome por traz da @nãorepete e propõe desafios de looks semanais para que você possa aproveitar melhor o seu guarda-roupa. 

Ela conta que a ideia surgiu de uma experiência pessoal e tem como objetivo de inspirar suas seguidoras, fazendo com que eles conheçam seus estilos.

Então, vamos conhecer os 8 desafios que ela já criou e que você pode reproduzir um, vários ou todos!


#1. 5 dias para redescobrir seu armário:

Em "5 dias para redescobrir seu armário" você vai consegui identificar o que já tem no guarda-roupa e criar looks propostos com as dicas de uma expert em consultoria de estilo e tudo isso sem gastar um centavo. Para saber tudo sobre esse desafio, clique aqui.

#2. 5 dias para usar preto de novas formas:

Sabemos o quão versátil é o preto e por combinar com tudo, sempre lançamos mão dele. Porém, se você percebeu que continua fazendo os mesmo looks e precisa de uma inspiração extra esse desafio é pra você! Para saber tudo sobre esse desafio, clique aqui.


#3. Saia do básico em 5 dias:

Se você pensa, pensa, pensa, mas acaba caindo no básico sempre e deseja quebrar esse ciclo desenvolvendo novas formas de vestir, a Guid dividi com você várias dicas de styling. Cada dia você coloca em prática uma dica, encontra novas possibilidades e se reencontra. Para saber tudo sobre esse desafio, clique aqui.


#4. Como usar jeans fora do óbvio:

Como uma boa stylist ela não deixou de fora nossa peça queridinha: o jeans! Para fugir do combo jeans + camisa branca, é só praticar esse desafio e sair com mil ideias. Para saber tudo sobre esse, clique aqui.


#5. Guia para ficar 5 dias sem usar preto:

Esse até eu preciso. Meu guarda-roupa é composto de praticamente 90% de preto. É a minha cor favorita, onde me encontro e me sinto confortável. E como como ela sabe que muita gente é como eu, a Guid foi bem flexível e permite que você fuja da regra. Muto legal que nada é imposição! Para saber tudo sobre esse desafio, clique aqui.





#6. Passe 5 dias no estilo minimalista:

Esse momento é nosso! Aqui vamos passar 5 dias treinando o estilo minimalista, o que é muito bom pra quem tá paquerando essa forma de se vestir. Praticar, conhecer coisas novas e desafiar você também a passar por toda essa experiência. é uma boa forma de saber se ele é pra você. Para saber tudo sobre esse desafio, clique aqui.


#7. Peças essenciais:

Eu sempre falo sobre peças essenciais aqui e defendo mesmo que todo mundo precisa ter suas próprias peças essenciais. Elas são perfeitas exatamente por fazerem o milagre da multiplicação de looks descomplicando a vida. Para saber tudo sobre esse desafio, clique aqui.


#8. Repita uma cor:

Por fim, esse desafio também tem como objetivo a criação a partir de uma cor que você tem no armário. Funciona assim, você escolher UMA COR e repete ela durante 4 dias, de várias formas diferentes. Para saber tudo sobre esse desafio, clique aqui.


Nos desafios, fica evidente que nada é criado do zero, tudo parte do que á temos. E foi isso que me encantou e muito pelo conteúdo dela que encoraja pessoas a vestir o que quiserem. 

E aí, já tentou fazer algum desafio de estilo ou já conhecia da Guid? Me conta que vou adorar saber!

Ressignificar: o que é e como praticar



O que será que faz a gente querer ressignificar?

Durante esse período que estamos vivendo em isolamento social, - eu sei, nem todo mundo está mais em isolamento - percebi que muita gente começou a encontrar novos sentidos para as coisas que compõem a nossa vida.

Aprendemos novas habilidades, esquecemos de outras, mas, sobretudo, ressignificamos muitos aspectos. É, de um jeito ou de outro, nos vimos obrigadas a mudar.

Ressignificar o medo, a solidão, a dor, o desespero, a alegria cotidiana, o amor por nós mesmas.


😍 Leia também o post da segunda-feira passada: Moletons: eles estão com tudo!


Escrevendo esse texto de uma viagem que fiz para uma cidade do litoral. Passei meses planejando para que tudo corresse como eu esperava!

Enfim, o final de semana chegou. Mas, com ele teve aquela frente fria clássica que insiste em chegar exatamente nos fins de semana.

Não era justo.
Mas, não havia possibilidade de desistir. E lá fui eu, chateadíssima, pensando que odeio jogar baralho e que eu queria estar mesmo era estar na praia.

Foi quando um amigo me disse: você tem duas opções, ficar contrariada e não aproveitar do jeito que dá ou se divertir da maneira que é possível.

Aquilo bateu forte em mim. Do que adiantaria eu ficar mesmo aborrecida por algo que não podia controlar? Não seria melhor mudar aquele estado de espírito?

E assim eu fiz. E posso garantir que foi uma viagem inesquecível! Cozinhamos, conversamos por muito tempo, fora que tirei alguns momento para falar com pessoas que não tinha contato, sempre com as desculpa da falta de tempo.





Com isso, ficou comprovado pra mim que quando mudamos nosso ponto de vista sobre qualquer situação, os fatos permanecem os mesmos, mas uma mudança importante é feita em como os vemos.

Substituir os pensamentos sombrios e que roubavam energia por outros mais responsáveis, como: “Acho que deve haver algo importante para eu aprender aqui”, é o que muda tudo.



Ressignificar é uma técnica usada em terapia para ajudar a criar uma maneira diferente de ver uma situação, pessoa ou relacionamento, mudando seu significado. É uma estratégia que os terapeutas costumam usar para fazer com que seus pacientes olhem as situações de uma perspectiva ligeiramente diferente.


À medida que mudamos o pensamento sobre nossa situação, há uma mudança no tom emocional e no significado que damos às circunstâncias da nossa vida.

A quarentena nos tirou a percepção do tempo. É como se os dias passassem muito rápido e mesmo assim a gente não saísse do lugar.

Como se a vida estivesse acontecendo lá fora e a gente não participasse dela, mas assistisse a nossa existência presa de um limbo estranho.

E com dias tão loucos podemos começar a cair em uma mentalidade de "a vida não deveria ser tão difícil..." ou "o que há de errado comigo que tenho tantos desafios?"

Por isso tenho buscado ressignificar.

Como vou encarar um dia ruim? Descrevê-lo como uma maldição ou apenas como um ponto baixo numa vida maravilhosa?

Percebe que ressignificar um dia estressante não é negá-lo, mas dar a ele um novo sentido? Essa atitude simples vai nos tornando mais fortes diante das adversidades.

Ainda acredito que vamos ter tempos novinhos para viver e tudo isso vai virar uma história triste, mas de superação e vivida da melhor forma.

E você, como tem enxergado esse dias? Vamos conversar!


Jobs, parcerias, anúncios?

Contato

newsletter

info

O neilabahia.com.br é um site seguro. Leia a Política de Privacidade.

mande um oi

neilabahia.com@gmail.com