Como criar uma ficha técnica de vestuário + download grátis


A ficha técnica é um doc pra lá de importante, ela permite uma visão completa e bem detalhada da peça que será produzida.



Se você quer saber como fazer uma ficha técnica de moda veio ao lugar certo!
No processo de confecção do vestuário a ficha técnica (FT) é como uma certidão de nascimento da peça. Ela faz parte do pós planejamento de coleção de Moda e quando preenchida de forma eficiente traz qualidade à produção, economiza tempo e reduz custos de maneira significativa.


E como uma certidão de nascimento, ela é única, reunindo todos os insumos necessários para a confecção da peça como o tecido, aviamentos, tipo de costura e muitas outras informações importantes. Vale ressaltar que quanto mais detalhada é a FT menor será o retrabalho por erros.


Normalmente ela é impressa e preenchida à mão pela assistente ou pela própria estilista/designer, que é quem determina todos os detalhes e informações da sua criação. É preciso usar lápis, já que até a finalização da peça as informações costumam mudar muito.







Confira agora o que não pode faltar em uma ficha técnica de vestuário!


1. Cabeçalho: é o que irá identificar a peça. Aí, encontra-se um grupo de informações básicas onde ficam a descrição, código, coleção/estação, referência... Podem existir algumas variações de uma empresa para outra, o importante é ir adaptando de acordo com suas necessidades.

2. Grade: Esse campo se refere a quantidade de peças que serão produzidas e seus respectivos tamanhos. Por exemplo, 2P, 2M, 2G, 2GG.

3. Desenho técnico: muitas vezes negligenciado esse é um item importante da ficha técnica, pois representa o modelo criado pela estilista, com todas as indicações para a confecção. A partir desse desenho a modelista irá captar a ideia e desenvolver a modelagem baseada nela, definindo assim o tipo de costura empregado. Vale lembrar que, via de regra, esse campo da ficha apresenta tanto a frente quanto as costas da peça de vestuário. Se houver detalhe lateral isso será apresentado também.

4. Tecidos: aqui será especificado o tipo de tecido a ser utilizado, se será plano, malha, couro...  Nesse campo, devem ser colocados todos os tecidos bem como os respectivos códigos de referência (internos ou externos), o fornecedor, a composição da matéria-prima, os preços dos por unidade (kg ou m), a quantidade que será utilizada e o valor consumido em cada peça. Essa é uma informação primordial para o setor de corte.

5. Aviamentos:  esse é o espaço reservado para os materiais responsáveis pela confecção e pelo acabamento. Tipo de linha e código da cor, se há zíper e qual tipo... Todos deve conter o código, descrição, fornecedor, custo unitário, unidade de medida (metro, centímetro), quantidade, custo de produção... É importante ter os custos de todos os aviamentos usados! Pode não parecer, mas os pequenos gastos são muitas vezes os responsáveis por encarecer a peça, inviabilizando sua venda.

6. Peça piloto 1 e 2: Há quem opte por fazer um primeiro protótipo num tecido de qualidade inferior, caso o tecido original seja nobre. Isso é opcional. Há de se pensar no impacto ambiental dessa prática e nas soluções para a reutilização.

7. Observações: O campo de observação serve para inserir alguma informação ou detalhe importante, mas que otimizará todo o processo de confecção. Principalmente as modelistas e pilotistas.

8. Costura/Acabamento: aqui a modelista determina o tipo de costuras e acabamentos as serem utilizados, como costura reta, sobreposta, tipo de bainha se a costura interna será francesa ou overloque etc. Fica no campo citado acima. A costureira também deve colocar suas informações.

9. Prova de Roupa: esse deve ser um espaço extenso para anotar todas as informações obtidas com a prova da peça piloto. Ajustes, modificações, aprovação ou reprovação e ordens de corte também são descritas aqui.

10. Foto: Com a peça piloto pronta e aprovada é legal anexar uma fotografia, porque ela pode servir como mais um elemento para a identificação da peça. Em empresas mais intimistas isso não faz muito sentido, mas nas maiores faz com certeza.

Além desses campos que citei, sua empesa pode precisar acrescentar outros que atendam as suas demandas. Porém, recomendo fortemente que não exclua nenhum desses que citei, mesmo que você trabalhe sozinha. Acredite em mim, o que parece que você vai lembrar sempre, daqui a uma semana já terá esquecido. Sua criação é importante e ela precisa ter uma identificação certinha, porque já pensou quando você estiver criando pra inúmeras mulheres? Yay!

Caso, ao longo do processo, alguma informação precise ser alterada, como uma forma mais eficiente de costurar, ou um novo tecido que serviu melhor, este mesmo responsável pelo produto deve alterar a informação na ficha técnica.

Outra dica é a automação/digitalização da FT, pois além de servir como backup facilita a consulta sempre que necessário. Para as fichas impressas, uma alternativa é arquivá-las em pastas catálogo, por tipo ou por coleção.

Como citei, com os valores do materiais o setor de custos e o departamento comercial estipularão preço de venda, o setor de planejamento e controle da produção calculará os insumos necessários para a fabricação conforme os pedidos e o de compras efetuará a aquisição da matéria-prima (tecidos e aviamentos).

Caso precise, baixe um modelo totalmente grátis!
Baixar Ficha Técnica de Vestuário: bit.ly/oficial-ficha-tecnica




Todos os Direitos Reservados.

Nenhum comentário:

Postar um comentário