Blog



Checklist para organizar o guarda-roupa




Existem várias etapas para alcançar um armário perfeitamente organizado. Nesse post você vai encontrar um checklist para te ajudar nessa tarefa!        

São inegáveis os benefícios da organização do nosso armário. Menos estresse, menos bagunça e mais tempo!

Hoje, vou te contar o que tenho feito para organizar e manter a organização do meu guarda-roupa como uma expert e, melhor, fazendo as boas energias circularem!


1. Retire aquilo que você não usa mais.


Eu sei que é difícil desapegar de certas coisas, principalmente quando elas tem um valor sentimental pra gente. 

Porém, é preciso pensar que um coisa só tem razão de existir para servir. Se não serve mais, apenas entregue a alguém que possa fazer uso daquilo.

Ademais, esse espaço pode ser usado para acomodar algo que você realmente ama e vai usar muito!


2. Organize as peças que ficam por cor.


Mesmo que você seja uma pessoa que gosta de poucas cores como eu, é importante categorizar as peças por cores. Isso fornece ao nosso cérebro mecanismos de associação e nos possibilita criar combinações eficientes que garantem otimizar o tempo na montagem de um look.


3. Escolha o cabide certo.


Existem diversos tipos de cabides. Madeira, plástico, revestidos de veludo... Eu prefiro os mais fininhos, pois ocupam menos espaço. E como uma boa pessoa com ascendente em virgem, eles são sempre iguaizinhos. Pra blusa, pra calça, pra blazer e jaqueta...




4. Defina um espaço para cada coisa.


Pendure as peças que amassam facilmente e dobre aquelas que não. Por exemplo, as de malha e mais pesadas devem ser dobradas. Aqui estão as t-shirts, leggings, pijamas, tricot... Malha é um tecido que tende a "crescer", então é melhor deixar dobradinha!

Já as que devem ser penduradas são as de tecido estruturados, como os vestidos, blazer, jaquetas, calças de tecidos mais pesados...

Outra coisa beeeem importante é deixar as gavetas em ordem. deixá-las organizadas é libertador. Sério, não deixem suas gavetas bagunçadas ou com coisas inúteis.


5. Doe o que não serve mais para você.


Pra finalizar, vale lembrar que estamos no inverno e muitas pessoas precisam de roupas e agasalhos, portanto, doar é importantíssimo nesse momento. Busque por instituições e casas de acolhimento que estejam aceitando doações.


checklist-para-organizar-o-guarda-roupa



Mas, lembre-se: nesse momento de pandemia pelo Novo Coronavírus é fundamental manter todas as recomendações ao sair de casa, ok? Use máscara e se cerque de todos os cuidados necessários!

Guarda-roupa limpo e organizado é tudo pra mim!

Roupas casuais de inverno - Inspire-se!


looks-casuais-inverno

O inverno chegou e com ele aquela dúvida que em momentos de isolamento social parece ainda maior, como se vestir bem e confortavelmente?       

Bom, primeiro é preciso ter em mente que é diferente a forma como nos vestimos em cada região e por isso as dicas que darei aqui são bem gerais e que você pode adaptar para o quão fria seja a sua cidade.

Para isso, basta atentar para a estrutura das peças, mais grossas e pesadas ou mais leves e fininhas.


Primeiro, que tal falar um pouco sobre o que são peças casuais?


Chamamos de look casual aquelas combinações de peças que se encaixam em diversos eventos ou ocasiões.

Elas se encaixam bem em um office look ou um passeio no fim de tarde, em uma festa íntima com as amigas ou  naquele happy hour hypado, ficam bem durante o dia ou a noite e de quebra parece que foi feito pra gente de tão perfeita que se encaixam no nosso estilo! 

É por esse motivo que as peças casuais são tão amadas! E se você tem dúvidas de como utilizá-las no inverno, segue comigo!





Looks casuais de inverno com calça jeans


Jeans é tudo, né? Fica bem durante o dia, durante a noite e para quem ama malhas mais quentinhas ou mesmo os cardigans mais leves, ele é perfeito.

Para os pés, vão bem as botas de cano curto, sapato fechado com solas tratoradas ou mesmo um tênis mais pesados que cobrem totalmente os pés e são resistentes à água.


looks-casuais-inverno-calça-jeans-pinterest

looks-casuais-inverno-calça-jeans-pinterest

looks-casuais-inverno-calça-jeans-pinterest

looks-casuais-inverno-calça-jeans-pinterest



Looks casuais de inverno com legging ou jogging


Com legging – a pergunta a se fazer é: por que não investir em leggings no inverno? Se o que você está buscando é o conforto ao extremo, elas são perfeitas!

Um sobretudo, casacos de lã ou jaquetas são ótimas opções para tirar aquele ar extremamente esportivo que a peça possui.

Há modelos especiais para os dias mais frios, com tecidos estruturados e até como revestimento interno com tecidos isolantes.

Para os pés: botas de cano longo e tênis são perfeitos!


looks-casuais-inverno-legging-pinterest

looks-casuais-inverno-jogging-pinterest

looks-casuais-inverno-legging-pinterest



Looks casuais de inverno com saia


Se o tempo é realmente frio saias podem não ser uma boa opção ou caso você queria muito pode considerar usar uma meia calça de 90 fios em diante.

Para as temperaturas de inverno as saias midi são ótimas opções. Complemente com casacos de lã, crochê e linha que são ótimos para compor looks muito estilosos!

Para os pés, continue usando calçados fechados. Botas com os mais variados tamanhos de cano e tênis, funcionam muito bem pra elas!


looks-casuais-inverno-saia-midi-pinterest

looks-casuais-inverno-saia-midi-pinterest-1


E aí, qual o seu favorito? Me conta nos comentários!

Tag literária: Li até a página 100 e...


"Um Brinde a Isso" é o livro de memórias, uma autobiografia, de Betty Halbreich, uma das primeiras personal shoppers do mundo!   

Nessa Tag respondo um pouco sobre esse livro incrível de uma mulher que hoje tem 91 anos e ainda trabalha no mesmo lugar, a Bergdorf Goodman, em NY.

Se você acompanha os blogs literários já deve ter visto algum artigo com o termo "TAG" que na nada mais é do que um forma de de responder perguntas específicas sobre os livros.

"Li Até a Página 100 e..." é uma dessas tags literárias que criada pelo blog "Eu leio, eu Conto" que até onde consegui informações não está mais no ar e tem como objetivo responder as perguntas sobre a sua leitura do momento, depois que chegar na página 100 do livro.

O fato é que vi essa TAG no blog da Leslei, o Apenas Leite e Pimenta, e achei que caberia muito para esse livro de moda que aina não terminei, mas que vale já a indicação!

1. Primeira frase da página 100:


"Não fui a mãe alegre e divertida que brincava com os filhos, mas eles se vestiam de modo impecável."

2. Do que se trata o livro? 

Basicamente de memórias. Um Brinde a Isso - Uma vida dedicada ao estilo é uma autobiografia, que como o título sugere conta a trajetória pessoal e profissional e uma das pioneiras em personal shopper do mundo. Betty nos conta desde a infância, passando por seu casamento mal sucedido, até a sua vida profissional. 

3. O que está achando até agora?

Apesar de prolixo o livro é muito interessante e por contar as diversas fases na carreira dela faz com que a gente fique atenta para cada desenrolar dos eventos e de como isso impacta na própria Betty. A essa altura do livro a gente consegue perceber como a criação que recebeu impactou na sua personalidade.

4. O que está achando da protagonista? 

Betty me parece uma mulher frágil, embora tente não camuflar isso o tempo inteiro. Porém, isso é bastante justificável. Você pode imaginar o que era ser uma mulher que trabalha numa época que isso não era normal. 

Ela tem uma referência muito forte de família e vemos o quão difícil é conciliar tudo e dar conta do que acredita ser o certo a seguir. 




5. Melhor quote até agora: 

"Tivemos brigas feias sobre os móveis e o aluguel mensal de 225 dólares. Sempre o primeiro a pagar a conta no Colony ou no Copas, o Sonny tinha dinheiro suficiente para bancar todo mundo da mesa, mas não para comprar os móveis? Ele disse que eu estava exigindo demais dele." 

6. Vai continuar lendo?

Sim. Ainda restam cerca de 200 páginas para concluir e minha meta é terminar até o dia 27, na próxima sexta. Confesso que estou com um ritmo bem lento e lendo menos do que eu queria nessa quarentena. 


7. Última frase da página 100:

Kathy e John viraram os primeiros modelos e Eiseman, sobretudo porque ela fazia muitas roupas combinando para irmãos, às quais eu não consegui resistir.

Talvez para quem não goste tanto de Moda o livro pode não ser tão interessante, principalmente pela riqueza de detalhes.

Por outro lado, para quem ama esse seguimento, é inspirador observar como Betty, mesmo vindo de uma família aristocrática, traçou uma carreira tão longa e promissora dentro de uma marca, quando tudo ia conta ela.

Vale muito a leitura!



5 estratégias para melhorar a sua relação com as compras



Com o isolamento o volume de compras aumentou. Saiba aqui como não cair nessa armadilha, mantendo um consumo consciente mesmo nas situações difíceis.   

Na semana passada, estava lendo uma matéria que mostrava que só nos EUA o consumo cresceu cerca de 30% nos meses de isolamento social pela COVID-19 e por aqui, a coisa não está muito diferente.

De acordo com Sociedade Brasileira de Varejo e Consumo (SBVC), os brasileiros aumentaram suas compras online, passaram a usar mais os meios digitais de pagamentos e ainda de acordo com o estudo a tendência é esses hábitos de compra no pós-pandemia sejam mantidos

Isso é uma notícia muito ruim, não pelo ponto de vista da tecnologia e das facilidades que ela proporciona, mas pelo aumento das compras descontroladas que são tão prejudiciais tanto para as pessoas quanto para o meio ambiente.

E se tínhamos esperanças de que passado o isolamento social o consumo seria repensando e as pessoas criariam a consciência de que precisam comprar menos, não sabemos ao certo se será assim, já que mudar hábitos leva tempo.

Sabemos que é muito provável que as pessoas estejam comprando coisas para se sentirem melhor, o que conhecemos como terapia de varejo.

No post da semana passada, falei sobre a compulsão por compras, como ela se manifesta, além das sensações que uma compradora compulsiva experimenta. Se você não leu, corre lá que dá pra fazer um teste bem rapidinho e checar se é hora de pedir ajuda.

E como sabemos o quão difícil é abandonar hábitos nocivos para dar lugar a outros mais saudáveis, é muito importante prestar atenção ao que está acontecendo conosco, às nossas emoções e buscar formas de trabalhá-las adequadamente.

Assim, separei aqui 5 estratégias que você pode utilizar para combater o vício em compras:

1. Corte seus cartões de crédito. Se você tiver problemas com gastos compulsivos, destrua seus cartões de crédito agora, sem desculpas. 

Não anote os números da conta em algum lugar "apenas por precaução". Se os cartões de crédito alimentam seus gastos emocionais, você ficará melhor sem eles. (Você sempre pode obter novos cartões depois que adotar hábitos melhores.)

2. Tenha um controle financeiro. Acompanhar cada centavo que você gasta é importantíssimo para criar a consciência dos padrões de compra e assumir o controle deles.

3. Crie jogos internos. Para muita gente, o dinheiro não é uma questão problemática. Elas são capazes de fazer escolhas lógicas e não são tentados pelas compras. Se você não é assim, faça alguns truques consigo mesma.

Uma boa opção é a regra dos 30 dias. Funciona assim: quando vir algo que deseja, não compre imediatamente; anote em algum lugar e observe-o por 30 dias. Depois você avalia sinceramente se precisa mesmo daquilo.

4. Evite a tentação. A melhor maneira de evitar gastos é evitar ao máximo situações que te estimulem a comprar. Se sua fraqueza for livros, fique fora das livrarias, principalmente as online com retirada grátis. 

Se costuma gastar mais em grandes lojas de departamento, fique longe dos shoppings. Pare de ir aos lugares onde normalmente passa, principalmente se estiver sob estresse emocional.

5. Peça ajuda. Não há vergonha alguma em admitir que tem um problema e que precisa de ajuda. Converse com uma amiga próxima ou um membro mais próximo da família e peça apoio para interromper o ciclo de gastos compulsivos.

Caso nada disso funcione, considere procurar ajuda profissional imediatamente. Mas, lembre-se: você precisa estar aberta à escutar e se comprometer a mudar e reaprender.

Bônus: há uma outra estratégia que considero muito eficaz para mim: quando me sentia tentada a comprar algo, forçava-me a parar por um momento e me fazer algumas perguntas sérias. Eu posso? Eu preciso? É útil realmente? 

Antes de finalizar esse texto, preciso dizer que tenho duas notícias pra você. A boa é que você pode superar isso, sim. Você pode se libertar do consumo compulsivo. A má notícia é que dá trabalho.

E isso não vai acontecer da noite para o dia. Você cometerá erros e retrocederá. Quando o fizer, não desista. Não se machuque porque comprou uma bolsa nova ou um algum item inútil. Você é humana. Mantenha o foco em sua meta de longo prazo e resolva fazer melhor da próxima vez.

Estou sempre por aqui. 
Um beijo enorme!



Shopaholic? Faça o teste de descubra se você é viciada em compras!


Talvez você se pergunte se a forma como compra é saudável. Faça esse teste rápido e descubra que tipo de compradora você é!

Quando a compulsão por compras se apresenta de forma severa, ela se torna uma doença psicológica chamada oniomania. O transtorno, caracterizado pelo descontrole dos impulsos na hora de fazer compras, atinge cerca de 3% da população, mas tem tratamento.

Também conhecidas como shopaholics ou consumidoras compulsivas, as pessoas que precisam comprar cada vez mais, chegam a deixar de pagar contas essenciais para gastar com coisas supérfluas, apenas pelo prazer que a compra proporciona.

Recentemente, a Organização Mundial da Saúde divulgou em uma de suas pequisas que 8% da população do planeta sofre dessa condição. No entanto, são poucas as pessoas que admitem ter a compulsão ou serem viciadas em comprar.

Contudo, com um pouco mais de atenção podemos perceber os sinais de que algo não vai bem. Porém, vale o alerta que não basta apenas gostar de comprar para ser considerada uma pessoa com o transtorno, é preciso que o hábito de comprar interfira de forma importante em outros setores da vida.


O QUE É ONIOMANIA: Doença que se caracteriza pelo desejo anormal, compulsivo, 
intenso e permanente de fazer compras; oneomania.






Em outros aspectos, as compras compulsivas podem desencadear sérios problemas psicológicos, financeiros e familiares que incluem a depressão, dívidas enormes e graves problemas nas relações interpessoais.

Não se sabe ao certo se há uma causa central para que uma pessoa se torne uma compradora compulsiva, já que existem uma série de complicadores tanto psicológicos quanto externos. 

Um exemplo muito claro desses estímulos são as propagandas, as quais somos expostos diariamente, e suas pseudos facilidades como as de comprar com um clique.

Um ponto que precisa de atenção é que nem sempre quem vive o problema consegue identificar - ou admitir - que tem algo de errado.

Assim, criei esse teste rápido para que você possa identificar se a forma como está se relacionando com as compras é saudável ou se está na hora de pedir ajuda!



O tratamento para compras compulsivas geralmente é feito por profissionais, através de aconselhamento sobre compras, terapia e, em alguns casos, medicamentos.

O objetivo do tratamento não é fazer com que a pessoa pare de comprar totalmente,  mas que aprenda a fazer compras de forma saudável, trabalhando o controle dos impulsos e das situações de gatilho. 

Caso você observe alguns desses sinais em seu comportamento ou em alguém de seu convívio, procure ajuda. Uma boa alternativa é o site Devedores Anônimos.

Atenção: Não pague por qualquer serviço até ter certeza de que está contratando profissionais. Consulte sempre o conselho de cada atividade. Conselho Regional de Psicologia, por exemplo.




3 filmes para ajudar a superar uma desilusão amorosa (Netflix)





Não é preciso dizer o quão separações são difíceis. Se você está passando por isso agora, vem ver esses 3 filmes que separei! Garanto que você vai se distrair um pouco, dando boas risadas!

Eu sei, quaisquer que sejam as circunstâncias, os rompimentos são dolorosos e assustadores, e não há uma boa maneira de superá-los, exceto... continuar vivendo para enfim, superar.

Embora nada possa realmente fazer você esquecer a pessoa que já foi tudo pra ti, esses filmes que envolvem um fora daqueles, mas sempre com finais surpreendentes, te ajudarão a distrair a negatividade que insiste em atormentar mesmo que seja apenas por algumas horas.

Então, pega a pipoca e vem comigo conhecer esses 3 títulos que farão você terminará o filme se sentindo um pouco menos desesperada e muito mais compreendida.



O estranho noivo de Maya


Maya (Amber Stevens West) trabalha com o pai que é bastante controlador, mas ela adoraria ser uma artista e pensando nisso resolve visitar a África do Sul, mesmo seu pai sendo contra.

Lá ela se apaixona e é pedida em casamento, também para o desespero do seu pai que vê a filha se envolvendo com alguém que nem conhece.

No entanto, o noivo de Maya a trai e ela não conta para a família, mantendo a farsa do casamento que acontecerá em poucos dias. Eu ri muito com esse filme!





Gente que vai e volta


Se você gosta de comédias fofinhas ‘Gente Que Vai e Volta’ foi feito para você! O primeiro filme dirigido por Patricia Font foge da atmosfera das grandes cidades e nos dar a paisagem bucólica do litoral de Barcelona.

A história gira em torno da perda, da crise pessoal e da sensação de vazio após uma desilusão.





Tal pai tal filha


O Filme Tal Pai, Tal Filha traz a história de Rachel, uma mulher obcecada por trabalho, que é abandonada no altar por conta de sua obsessão. Como se isso já não fosse ruim o suficiente, seu pai, que ela não tem notícias desde a infância, aparece na igreja como se nada tivesse acontecido. O filme é muito divertido, rende boas gargalhadas e algumas lágrimas. Eu amei!





Acredite, ter um coração partido parece o fim do mundo, mas não é. Você não está quebrada. Eu sei que dói, mas a partir dessa mágoa você pode começar a criar uma conexão profunda consigo mesma e com outras pessoas que antes não era tão possível.

Ter seu coração partido significa ser humana. Isso quer dizer que você tem um coração bom, amoroso e atencioso. É perda de tempo ficar se comparando com quem quer que seja. 

Ajudar outras pessoas através da minha dor me ensinou algumas lições profundas. Por maior que seja a nossa dor, não somos as únicas a estar passando pelo mesmo. É isso que conecta todos nós. O tempo cura tudo! 

E nunca, jamais, podemos nos permitir nos tornarmos aquilo que nos feriu e que nos deixou tão tristes. 

E mesmo quem está de boa na lagoa, pode acreditar, esses filmes são muito divertidos, pois mostram diferentes mulheres lidando com seus perrengues amorosos e caem muito bem nesse momento de quarentena que estamos vivendo.

Já assistiu algum? Está sofrendo por um amor ou tem uma boa história pra contar? Vamos conversar mais sobre isso nos comentários!





Jobs, parcerias, anúncios?

Contato

newsletter

info

O neilabahia.com.br é um site seguro. Leia a Política de Privacidade.

mande um oi

neilabahia.com@gmail.com